Mercado de Trabalho

Truques e dicas para escrever uma carta de motivação

17 Setembro 2020

Tal como já dissemos no artigo sobre os desafios do mercado de trabalho é importante destacaras-te. Esse destaque pode ser conseguido pelo currículo e pelo seu desenvolvimento constante, mas também pode ser conseguido através de uma carta de motivação associada ao currículo.

É comum que a carta de motivação seja até um pré-requisito para candidaturas a estágios, pós-graduações, mestrados ou doutoramentos, mas também pode ser pedida aos candidatos para vagas de emprego.

Aqui, vamos focar-nos mais neste último cenário e explorar as cartas de motivação no contexto de mercado de trabalho.

Ao solicitar uma carta de motivação, a empresa está a dar uma oportunidade de mostrarmos mais do nosso percurso para além dos tópicos que estão no currículo. No fundo é uma oportunidade de mostrar que estamos mais motivados do que outros possíveis candidatos.

No Unlimited Future, compilamos algumas dicas e agora podes ver como marcar pela diferença:

  • Deita cá para fora a tua veia de Sherlock Holmes e tenta encontrar o nome da pessoa responsável pelo recrutamento naquela empresa. Destaca-te e não escrevas apenas o mesmo que toda a gente: “Caro(a) Diretor de Recursos Humanos”;
  • As primeiras frases vão dar logo uma primeira impressão sobre quem és. Por isso, deves dizer logo o porquê de seres a pessoa indicada para o cargo – mostrar qual é o teu objetivo (motivação) - o teu “porquê”;
  • A partir daí, deves mencionar as tuas experiências, concretizações e conquistas. Não é suposto repetir o currículo, mas sim contar uma história (sem divagar!) sobre aquilo que pode ser relevante para o cargo que te estás a candidatar – os pontos relevantes do teu percurso que fazem match com o aquilo que a empresa pretende (cultura, funções, mercado onde a empresa atua, etc.) e que acabam por explicar o teu objetivo de querer trabalhar naquela empresa;
  • A carta de motivação é um texto muito pessoal, por isso deves dar algumas hints das tuas competências pessoais e personalidade;
  • Se não houver especificação do tamanho que a carta deve ter, cuidado para não escreveres um livro sobre tua vida. A carta de motivação não deve ultrapassar uma página. Lembra-te sempre que o recrutador não tem tempo a perder e uma carta demasiado extensa pode fazer com que ele perca o interesse na tua. Sê o mais objetivo possível!
  • Começa e termina de uma forma impactante!
  • Lê a carta quantas vezes forem necessárias para garantires que não tens um único erro ortográfico nem gramatical. Os erros acontecem, mas isto dá logo uma impressão descuidada sobre ti. Para além de reler a carta várias vezes, pode ajudar mostrar a carta a outras pessoas.

Não há um modelo infalível e ideal de cartas de motivação. São textos muito pessoais, onde estamos a mostrar mais um pouco de nós e o porquê de sermos uma mais valia para uma determinada empresa. Por isso, o nosso maior conselho é que sejas autêntico!

Não tentes copiar outras cartas que vês na internet, sob pena de ficar demasiado vago e sem “alma”!


DEIXA UM COMENTÁRIO